Viagem Douro e Piódão (2 dias)

 02 e 03 de Agosto de 2014

 

Preço 66€ por pessoa

O preço comercial desta viagem está estimado em 140€, só vai pagar 66€!

Vai poupar 74€....

Inclui: 

   1º dia:

  • Almoço, jantar e Alojamento.    (Hotel Nelas Parq ***)                    
  • Viagem de 2 horas num cruzeiro de Régua a Pinhão.
  • Seguro
  • Assistente em viagem
  • Autocarro de Turismo

Bilheteira:

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

2º dia: 

  • Pequeno Almoço e Almoço.
  • Seguro
  • Assistente em viagemTurismo
  • Autocarro de Turismo

 

Partida de Casais de Revelhos, com passagem por Sardoal, Alferrarede, Abrantes, Entroncamento,

Torres Novas e Leira para embarque dos passageiros.

 

Meio de pagamento: Multibanco

  •          - Depois de adquirir o bilhete receberá no máximo em 24 horas

            as referências para pagamento.

  •           - Esta viagem só se realiza se forem adquiridos no minimo 40 bilhetes.

  •            - Só é considerado valido o bilhete depois de pago.

 

  •           - Se a viagem não se realizar o valor pago será devolvido, ou pode ficar em caixa

            e poderá ser utilizado numa nova viagem se for a vontade do comprador.

 
 
            Estes preço aplica-se ao alojamento de quartos duplos e triplos.
           Quartos individuais acresce um suplemento de 20€ / pax
 
        Organizador: Pedro David
             Agência de viagem "Viagens Charly"
 
 
 
 
 

1º Dia (02 de Agosto)

  • Saída dos pontos indicados em autocarro de grande turismo em

       direção ao hotel.

  • Almoço e alojamento.
  • Saída em direção à Régua. Chegada ao Cais da Régua, para embarcar num Cruzeiro pelo Rio Douro, com subida na Barragem da Régua (desnível de 28 m) desfrutando das magnificas paisagens subjacentes.  (2 horas de viagem)
  • Chegada ao Cais do Pinhão e desembarque. Visita ao Pinhão - Vila pitoresca, onde se destaca os painéis de azulejo policromados de 1940, com a descrição etnográfica da região Douro.
  • A paisagem do Pinhão está classificada pela UNESCO como património cultural da Humanidade.
  • Panorâmica pela Régua, capital do vale do Douro.
  • Regresso ao hotel para jantar.

 

 

Peso da Régua

Peso da Régua, também conhecida apenas por “Régua”, é uma cidade do Norte de Portugal, sede de concelho, situada em Trás-os-Montes, junto ao Rio Douro, conhecida por ser a capital da região demarcada que produz o célebre vinho do Porto. 

Não existem certezas das origens da localidade, mas pensa-se aqui ter existido uma casa Romana denominada “Villa Reguela”. 
Mas somente em 1756 Peso da Régua viria a sofrer maiores desenvolvimentos, aquando a criação pelo Marquês de Pombal da Real Companhia Geral da Agricultura das Vinhas do Alto Douro, que instituiu a 1ª região demarcada de produção vitivinícola a nível mundial. Já em 1703, a região tinha sido privilegiada através do importante Tratado de Methuen, em prol da viticultura do Douro, tendo as plantações tomado um novo incremento. 
 
Constroem-se, então, em Peso da Régua os armazéns da Companhia, e elaboram-se as primeiras “feiras dos vinhos” que duravam oito dias e estiveram na criação de vários estabelecimentos comerciais, hospedarias, casas de jogo e tantas outras mais valias que desenvolveram a localidade. 
Era de Peso da Régua que partiam os típicos barcos rabelos, de madeira, que se aventuravam pelo rio Douro para transportar os barris de vinho até Vila Nova de Gaia, onde o vinho envelhecia nas caves. 

As paisagens naturais da região são, pois, lindíssimas e especiais, estando o Alto Douro classificado pela UNESCO como Património da Humanidade, provendo panoramas espectaculares tanto observados do próprio Rio Douro, ou no alto, nos muitos miradouros da zona, destacando-se o de São Leonardo e o de Santo António do Loureiro. 
Do cais fluvial de Peso da Régua partem e chegam muitos dos famosos Cruzeiros que cruzam este bonito Rio Douro, possuindo igualmente várias infra-estruturas de lazer como uma área pedonal, campos de ténis, piscinas e equipamentos para pesca, lojas de artesanato, restaurantes e bares. A não perder o Museu do Douro, instalado na Casa da Companhia, demonstra a importância deste património através das várias exposições que organiza.
 

Peso da Régua " Capital internacional do vinho e da vinha."


Da riqueza patrimonial do concelho destacam-se as muitas casas senhoriais, pequenos palacetes e grandes quintas rurais dos “senhores do vinho”, muitas delas abertas ao público, demonstrando a riqueza que esta produção trouxe à terra, mas também outros monumentos, como a Igreja Matriz de S. Faustino, construída no local onde outrora existiu a capela do Espírito Santo, a Capela do Senhor do Cruzeiro do século XVIII, a Igreja do Asilo Vasques Osório, as Capelas do Espírito Santo, a de Nossa Senhora do Desterro, a de São João ou a de Nossa Senhora da Boa Morte, entre tantos outros.

 

 

Cruzeiro no Rio Douro (Régua - Pinhão)

 

Pinhão

Bonita vila da região Norte do País, o Pinhão situa-se na margem direita do Rio Douro, sendo considerada o coração do Alto Douro Vinhateiro, onde se localizam as muitas quintas que produzem o vinho do Porto, inserida numa das áreas classificadas pela UNESCO como património cultural da Humanidade.

Pinhão deve o seu topónimo ao rio com o mesmo nome, afluente do rio Douro, cuja bonita foz se encontra nesta localidade.

A paisagem envolvente é de uma beleza única, rodeada de uma natureza luxuriante com o Rio Douro como companheiro e casas senhoriais, quintas e solares que atestam a riqueza que o vinho do Porto tem concedido à região, estando a vila construída em desníveis que a parecem encaminhar para o encantador rio.

 

Um dos principais conjuntos patrimoniais da vila é a bonita Estação de Caminhos de Ferro, construída no século XIX, com painéis de azulejos de grande beleza retratando cenas quotidianas de Pinhão, bem como a produção do Vinho do Porto, desde a vindima, passando pelo pisar das uvas até ao transporte de rabelo até aos armazéns do Porto.

O caminho de ferro foi um dos motores de desenvolvimento de Pinhão, que vê facilitada a comunicação às cidades onde se comercializavam os produtos da região.

A faceta turística da vila tem crescido muito ao longo dos anos, sendo local de paragem obrigatória dos famosos cruzeiros do Douro, oferecendo uma boa oferta de restauração e alojamento, bem como bares e cafés onde se pode degustar o bom vinho do Porto, ou lojas de artesanato local.

 

 

Pinhão - Confluência Pinhão e Douro

Muitos dizem ser o Coração do Douro Vinhateiro... mas a única certeza é que o Pinhão é mesmo um local de inconfundível beleza e um retrato de uma região que há muito se sustenta no bom vinho e paisagem para atrair turistas. Neste destino, vamos levá-lo a conhecer a história do pinhão, mas também dar-lhe apenas um "cheirinho" do que o espera numa visita a esta simpática vila do concelho de Alijó.

 

 

 

2º Dia (03 de Agosto)

  • Após o pequeno almoço, segue-se uma amena demonstração comercial patrocinada pela Franis, Lda
  • Almoço
  • Depois do almoço, viagem até Piódão. Uma das mais bonitas aldeias históricas de Portugal. Típicas casas de xisto e lousa com janelas em madeira de azul pintadas descendo graciosamente pela encosta formando assim um anfiteatro.
  • Tempo livre
  • Final da tarde, viagem de regresso.
 
 
 

Piódão

 

A aldeia, de Piódão, situa-se numa encosta da Serra do Açor. As habitações possuem as tradicionais paredes de xisto, tecto coberto com lajes e portas e janelas de madeira pintada de azul. O aspecto que a luz artificial lhe confere, durante a noite, conjugado pela disposição das casas fez com que recebesse a denominação de "Aldeia Presépio". A aldeia surge na curva da estrada, como um pequeno presépio aninhado no fundo de uma montanha.


Toda construída em xisto, casas e ruas, forma uma linda mancha uniforme interrompida pelo azul forte das janelas e das portas de algumas das casas. Conta-se que esta nota de cor dissonante teve a sua origem no facto de que a única loja da terra só tinha tinta azul e, dado o seu isolamento, da aldeia não era fácil para as pessoas deslocarem-se a outro local.

Foi na realidade o isolamento que preservou intactas as características desta antiquíssima povoação.Do conjunto das pequenas casas de dois pisos destaca-se a encantadora igreja matriz dedicada a Nossa Senhora da Conceição, toda caiada de branco, com os seus singulares contrafortes cilíndricos, que a população erigiu no início do séc. XIX com os seus ouros e dinheiro.

Dada a sua localização escondida no fundo da serra, Piodão foi noutros tempos abrigo ideal para foragidos da Justiça, pensando-se que aqui se terá escondido um dos assassinos de D. Inês de Castro, que conseguiu fugir à fúria de D. Pedro.

 

As Fotos foram retiradas de: http://portugalfotografiaaerea.blogspot.pt/

contador de visitas