Created 18-May-12
Visitors 33
35 photos
O VII Festival Internacional Máscara Ibérica (FIMI) regressa às ruas de Lisboa entre 10 e 13 de Maio com um programa dinâmico e variado que inclui uma mostra de artesanato e produtos regionais, promoção turístico-cultural, concertos, música e danças tradicionais, actividades para os mais novos, um concurso de fotografia e muita animação de rua.

Uma iniciativa da PROGESTUR - Associação para o Desenvolvimento do Turismo Cultural, em parceria com a EGEAC - Empresa de gestão de equipamentos e animação cultural de Lisboa/Câmara Municipal de Lisboa. O VII Grande Desfile Máscara Ibérica será o momento alto do FIMI, sábado dia 12 de Maio, pelas 16h30 com início na Praça do Município e fim no Rossio.
A tradição pagã dos rituais da máscara, raramente vistos fora dos seus contextos de origem reúne este ano 24 grupos oriundos do Norte e Centro de Portugal, Galiza, León, Zamora, Cáceres, Astúrias, País Basco e Salamanca, pela primeira vez presente no Desfile a par de Ílhavo (PT), Piornal e Montehermoso de Cáceres (ES). Este evento é reconhecido de interesse turístico internacional pelo TP.

A Mostra das Regiões apresenta-se mais uma vez no Rossio, transformando-o entre 10 e 13 de Maio, numa montra de produtos regionais, artesanato e destinos turísticos. Poderá descobrir e adquirir algumas das mais tradicionais iguarias – fumeiro, doçaria regional - e peças artesanais nacionais e espanholas, espalhadas por 25 espaços. Zamora e Cáceres (Patronatos de Turismo) são algumas das províncias de Espanha que levam até à capital os seus produtos típicos, a que se junta o espólio gastronómico, vinícola e artesanal da Serra da Estrela, Nordeste da Beira, Beira Interior Sul, Região Centro, Baião, Mirandela, Vales do Sousa e Tâmega, entre outras regiões.

De Portugal, a Raia Histórica, ADRACES, Aldeias do Xisto, Município de Baião e Rota do Românico, são algumas das entidades a estarem presentes.

O Rossio contará ainda com animação de rua, música e danças tradicionais, artesanato ao vivo, provas de produtos regionais, entre muitas surpresas.

A componente musical continua a ser uma grande aposta da organização e a edição deste ano é prova disso! Concertos de música folk de raiz tradicional europeia com elementos de fusão entre o ska, reggae e rock nas noites de sexta e sábado e tarde de domingo no Palco Ibérico – Rossio. A abrir os MU (Porto), Sexta às 19h, seguidos pelos Skama la Rede (Astúrias), 22h. No Sábado, Nação Vira Lata (Lisboa), às 22h e no Domingo, Rakia (Porto) às 16h e por fim, a fechar o cartaz, Asturiana Mining Company, às 18h (vencedores do prémio melhor cantar em língua asturiana 2012).

A animação de rua é assegurada pela La Bandina e los Sidros de Valdesoto (Astúrias), a Tradballs (PT), Escola de ritmos Dumdumba (PT), Altsasuko Inauteria (País Basco), Folión de Viana do Bolo (Galiza), Vaidecaja (PT), para além das dinâmicas constantes em cada espaço.

Este ano a organização lança novamente o concurso de fotografia “Desfile com a Máscara 2011” onde profissionais e amadores poderão participar com fotografias do desfile da Máscara Ibérica do ano passado.

A cultura ibérica – património e tradição – a desfilar por Lisboa no Rossio! De 10 a 13 de Maio a partir das 10h com entrada livre!

Mostra das Regiões– Entidades

- Patronato Provincial de Turismo de Zamora – Diputación Provincial
- Diputación de Cáceres - Patronato de Turismo, Artesanía y Cultura Tradicional
- ADXTUR - Aldeias do Xisto
- ADRACES – Beira Interior Sul
- Raia Histórica – Associação de Desenvolvimento do Nordeste da Beira
- Rota do Românico
- Município de Baião
- Boutique do Chocolate e da Ginjinha d'Óbidos – Cupcakes
- Sabor Serrano
- Espaço Artesanato - Pedras de Leitor | Amigos do Monstro | Senhor de Si | Ercílio Natálio | Lombo de Ferreiro
- Tasquinhas ibéricas – Fumeiro do Minho e de Vinhais, licores transmontanos, Jardim dos Leitões, alheira de Mirandela, doçaria conventual e cocktails.

Concertos Palco Ibérico // Rossio

MU // 11 de Maio – 19h // Rossio

Os MU iniciaram o seu percurso musical em 2003. Em busca de fusão e de experimentação no seio da música tradicional, muitos foram, e continuam a ser, os estilos que caracterizam esta banda portuguesa. Os seus membros dedicam-se aos mais variados instrumentos provenientes dos quatro cantos do mundo, o que permite a este projecto viajar por distintas culturas e sonoridades tradicionais e de fusão.

Entre danças esvoaçantes, vozes femininas e instrumentos variados, os MU criam ao vivo um momento de alegria contagiante. Nos seus espetáculos, a energia viaja no ar, e invade os corpos impelindo-os a dançar num mundo sem limites. Ao longo do seu percurso, os MU contam já com dois trabalhos discográficos, Mundanças (2005) e Casanostra (2008).

SKAMA LA REDE // 11 de Maio – 22h // Rossio

SKAMA LA REDE é grupo de música asturiana criado em 2003, cujo som se caracteriza por um ska-punk festivo com algumas pinceladas de folk, rock ou reggae. Caracteriza-se também pelo uso da língua asturiana em exclusivo e pelas suas letras que, fundamentalmente, analisam de forma crítica a actualidade política, cultural e social das Astúrias e do mundo em general.

Com a publicação do seu primeiro disco "La nuesa hestoria" (2005), esta banda começou a surgir nas radios e a sua canção "Internacionalista" alcançou o reconhecimento de Melhor Canção em Asturiano do ano 2011.

NAÇÃO VIRA LATA // 12 de Maio – 22h // Rossio

Nvl ou Nação Vira Lata é um colectivo de músicos percussionistas coordenados e orientados pelo experiente Winga - percussionista da reconhecida banda dos Blasted Mechanism. Buscando a essência dos ritmos afro-brasileiros e portugueses, os sonidos de Nação Vira Lata resultam numa fusão alegre que une batidas/pulsões de ordem tribal O primeiro trabalho discográfico "Kayamura", trata-se de um trabalho de estudo e pesquisa dos ritmos afro-luso-brasileiros.

E baseado nas tradições e na sua fusão cultural entre o passado, presente e o futuro. Na multiculturalidade que existe entre os povos e na importância da música como meio de ligação entre os povos - culturas diversificada , assim como a sua constante transformação.

RAKIA // 13 de Maio – 16h // Rossio

RAKIA, um projecto cantado em português e em esperanto, encontra a sua identidade na fusão de raízes tradicionais e diferentes estilos musicais, partindo para a exploração dos instrumentos e ambientes da música do mundo. Iniciou o seu percurso em 2009.

RAKIA, do fogo nasce a água que aquece a alma, que entra pelo corpo e o incendeia, gole por gole, gota por gota, e da música surge a entrega à cultura do mundo. Os seus instrumentos são os mais variados, oriundos de várias partes do mundo: 2 vozes femininas, viola campaniça, violino, flauta transversal, bateria, derbouka, cajon, guitarra e baixo.

RAKIA entrega-se à partilha de música de fusão. Entre vozes cantadas em português e em esperanto, os instrumentos ressoam e dois corpos femininos dançam, contagiando o público numa entrega sem limites.

ASTURIANA MINING COMPANY // 13 de Maio – 18h // Rossio

AMC nasce em 1998 pela mão do músico/produtor/promotor Lee Wolfe. O resultado da busca de um caminho entre o folklore, os blues e a fecunda tradição asturiana, está reflectido no CD Patrimoniu, que sai no ano 2000 e é considerado uma das melhores gravações do movimento folk.

Depressa a banda viaja a festivais e são reconhecidos como um dos grupos mais identificativos da Asturias. Mas AMC não é só uma banda, é também uma fábrica de ideias e de aprendizagem de onde saem vários projectos e onde a música asturiana se funde com outras tradições e ideias originais. Foram os vencedores do prémio melhor cantar em língua asturiana em 2012.
Texto: http://www.destinoslusos.com

Categories & Keywords
Category:
Subcategory:
Subcategory Detail:
Keywords:Foto-Reportagens, Lisboa